Avalie sua vida pela glória que traz a Deus

O maior propósito da vida deve ser glorificar a Deus e fazer sua vontade. Todas as coisas podem ser feitas com um desejo de trazer mais glória a ele.

 

A orientação fundamental, implícita em cada decisão, deve ser: “O que farei para trazer mais glória a Deus? ”. Consideradas superficialmente, muitas coisas parecem não estar relacionadas à glória de Deus; a verdade, porém, é que cada ato ou decisão, ao menos indireta ou potencialmente, pode favorecer ou prejudicar a glória de Deus. A suprema paixão de sua alma só pode ser uma de duas coisas: Deus ou você mesmo. É sempre uma questão de ser Deus ou eu em primeiro lugar. A decisão é esta: “O que Deus mais deseja? ” ou: “O que eu desejo e qual seria minha vantagem? ”. Se sua vida parece não ter nenhuma paixão dominante, então o seu “eu” está no trono. Mas se a paixão que domina toda sua vida é trazer mais honra a Deus, então todos os detalhes, em cada dia da sua vida, têm um potencial de glorificar a Deus. A busca pela glória de Deus impõe uma disciplina sobre a vida inteira. “O que trará mais glória a Deus? ” é a pergunta que você deve fazer a si mesmo constantemente. Os cuidados pessoais, sua roupa, sua higiene, manter sua casa, seu carro e seus objetos em ordem, limpos e apresentáveis – tudo deve ser feito para a glória de Deus. Existem inúmeras maneiras de trazer mais glória a Deus. Não só podemos verificar algumas das formas mais óbvias de fazer isso na Bíblia, mas o Espírito Santo nos foi dado para nos guiar diariamente na prática de glorificar a Deus. Não é necessário exercer um ministério público para glorificar a Deus. Você pode impactar seu lar e sua família, seu local de trabalho e seus colegas, e sua igreja ou comunidade pelo seu exemplo de compromisso total em trazer glória ao Senhor. Essa motivação resplandecerá em tudo o que você é e faz. Earl Rainey trabalhava como caixa na principal loja de uma das cidadezinhas do Missouri (EUA). A vida cheia do Espírito desse jovem deu-lhe uma agradável disposição e um sorriso para todos. Sempre era cordial e atencioso. Morreu de forma prematura, e a loja onde trabalhava colocou um grande anúncio no jornal da cidade. No topo, em negrito, estava escrito: “Earl Rainey foi para o Céu”. E continuou: “Pergunte-nos como sabemos. Ele trabalhava para nós. Participou, certa vez, de uma reunião cristã e testemunhou depois que se converteu ali. Tudo o que sabemos é…”. A seguir, descreveram a vida maravilhosa que viveu a partir daquela experiência. Earl Rainey viveu para a glória de Deus. A mãe de John Newton, uma viúva piedosa, lavava roupas para a glória de Deus e para colocar comida na mesa. John seguiu seu pai para o mar, mas entrou num caminho que foi de mal a pior. Passou de um navio a outro, até que, algum tempo depois, foi vendido como escravo a uma mulher negra na costa da África. Alimentava-se com as migalhas de sua mesa e com os frutos que roubava de noite. Tinha uma única camisa para vestir. Conseguiu escapar, foi para o mar de novo e tornou-se um comerciante pirata de escravos. Todo esse tempo, sua mãe estava lavando roupa para fora, derramando suas lágrimas, dia após dia, na água de lavagem, enquanto orava para Deus salvar seu filho extraviado. Ano após ano, perseverou orando. Finalmente, ele se converteu e tornou-se um dos mais estimados e reconhecidos ministros de Londres. Hoje, todo o mundo cristão (e muitos não cristãos) cantam o hino de sua autobiografia, “Amazing Grace” (Graça incrível, como é doce o som/ que salvou um miserável como eu;/ Eu estava perdido, mas agora fui encontrado, / Era cego, mas agora vejo). Nenhum líder cristão viveu mais para a glória de Deus do que essa humilde e desconhecida mãe de Newton. Quem receberá a maior recompensa no Céu, John Newton ou sua mãe? Qualquer um pode viver para a glória de Deus. Você também pode. Entrega total e obediência cara Jesus expressou a paixão que estava em sua alma: “Pai, glorifica o teu nome! ” (Jo 12.28). Quando foi que Jesus clamou essa oração? Ele tinha acabado de dar aquela ilustração do grão de trigo, mostrando que se não caísse na terra e morresse, permaneceria infrutífero, mas se morresse, produziria muitas sementes. Tinha acabado de dizer, também, que aquele que amasse sua vida, a perderia; ao passo que aquele que odiasse sua vida neste mundo, a conservaria. E acrescentara: “Se alguém me serve, siga-me” (v.26). Em seguida, Jesus havia-se lembrado do enorme preço que lhe custaria, pessoalmente, seguir a vontade do Pai e exclamou: “Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora” (v.27). Foi nesse contexto que ele, então, clamou: “Pai, glorifica o teu nome! ”. Instantaneamente, Deus respondeu do Céu: “Eu já o glorifiquei e ainda o glorificarei” (v.28). Deus glorificará seu nome por meio de sua obediência radical em seguir a Jesus, dando o que for preciso para ver a vontade dele realizada e dispondo-se a cair no chão e morrer como uma semente para que uma grande colheita possa ser produzida (Jo 12.23-24). Avalie sua vida por esse tipo de rendição, pela disposição de pagar qualquer preço por causa de Jesus, de colocar a glória dele acima de todas as outras considerações. Deus não o recompensará pela quantidade de oportunidades que você teve, mas por aquilo que você fez com cada uma delas. Quanto mais oportunidades Deus lhe der, mais exigirá de você (Lc 12.48). Use as oportunidades que tem, e Deus lhe confiará mais (Lc 19.24-26). Um ministro cristão estava pregando sobre entrega total e o potencial de uma vida santa. Ele pintou o quadro de como seria a vida no lar se todos vivessem conforme a Bíblia. No final, fez um apelo para que as pessoas fizessem uma entrega total e fossem cheias com o Espírito. Uma mulher, na congregação, virou-se para aquela que estava ao seu lado e disse: “É uma excelente pregação, mas me pergunto se tal vida é possível”. A outra mulher sorriu e respondeu: “Bem, eu sei que o pregador vive essa vida; acontece que sou a esposa dele”. Se sua vida está focada em Deus, com todo seu coração e toda sua alma, até mesmo os aspectos mais insignificantes e corriqueiros da vida podem servir para glorificar a Deus. Até comer e beber de forma saudável, dormir bem e se exercitar fielmente podem ser atividades feitas para a glória de Deus (1 Co 10.31). Muitos esquecem que seus corpos não lhes pertencem. Temos uma dívida com Deus para fazer o que for melhor para manter nosso corpo cem por cento saudável e servi-lo fielmente por longos anos. É um mandamento honrar a Deus com o nosso corpo (1 Co 6.20). Um coração grato e alegre Avalie sua vida pelas ações de graças que fluem dos outros por sua causa (2 Co 4.15). A atitude de gratidão de coração que o Espírito quer derramar de sua vida em expressões constantes a Deus e aos outros pode trazer honra e glória a Deus. Um coração grato, borbulhando em alegria e gratidão a Deus, é um testemunho vivo e vibrante da bondade e fidelidade de Deus. Fanny Crosby, cega desde o segundo mês de vida, glorificava a Deus em todo lugar que ia. Conhecia a Bíblia melhor do que qualquer outro livro desde pequena. Ainda garota, memorizou os cinco primeiros livros da Bíblia, assim como os livros de Rute, a maioria dos Salmos e Provérbios, Cantares de Salomão e quase todo o Novo Testamento. A cega Fanny reconhecia a bondade de Deus em tudo – nas flores, nas árvores e na grama enquanto as tocava, nas canções dos pássaros, no som dos pequenos riachos. E começou a descrever tudo isso em poesia. Ela decidiu que nunca deixaria a cegueira escurecer sua vida ou fazê-la reclamar. Tinha um coração alegre e difundia luz onde quer que fosse, glorificando a Deus. Não permitia que nada a incomodasse ou entristecesse, nem que perturbasse sua fé. Era bem-vinda em qualquer casa que visitasse. Memorizou os oito mil hinos que escreveu para a glória de Deus. Foi convidada a falar, muitas vezes, para grandes plateias. Aos 94 anos, no dia 11 de fevereiro de 1915, parecendo estar bem, ditou uma carta, escreveu um novo poema e foi para a cama. Antes de amanhecer, passou silenciosamente para o Céu. Quantos cristãos já glorificaram a Deus juntamente com ela ao cantar hinos que ela compôs, tais como: “Segurança”, “Face a face (Salvo pela graça)”, “Salvo por Jesus Cristo (Seguro nos braços de Jesus”, “A Deus demos glória”, “Conta-me a história de Cristo”, e muitos, muitos outros. Quantas milhares de pessoas entregaram sua vida a Cristo ao ouvir os hinos “Busque o perdido”, “Salvador benigno, salva-me também” e “Cristo te chama com mui terno amor”. Talvez milhões de cristãos cantaram seus hinos como testemunho pessoal: “Não consintas (Nunca desista) ”, “Abrigo na rocha (Ele oculta minh’alma”, “Meu Jesus me guia sempre”, “Quero estar ao pé da cruz, ” “Mais perto da tua cruz”, e “Louvai! Louvai! ”. Milhões de pessoas foram enriquecidas espiritualmente porque a cega Fanny Crosby trouxe glória para Deus. Oração e boas obras Avalie sua vida pelas repostas de oração recebidas ao orar sozinho ou com parceiros por pessoas necessitadas. Devemos levar, continuamente, o fardo uns dos outros (Gl 6.2). Oração respondida traz glória e honra a Deus (Sl 50.15). Ela comprova e demonstra a grandeza, a soberania, o poder, a sabedoria e o amor do Senhor. Prova ao mundo que ele está vivo, assentado no Trono, que sua natureza é amor e que se preocupa com nossa vida. Quanto potencial as orações respondidas têm de glorificar a Deus! Que dimensões podem trazer para sua vida! A oração fervorosa e perseverante torna você um parceiro de Deus na obra que faz na Terra. Traz um significado eterno à sua vida. Mesmo fazendo suas atividades diárias, você pode respirar orações intercessoras continuamente e expressar seu amor pessoal por Jesus. Existe um caminho melhor para glorificar a Deus? Avalie sua vida por suas boas obras que trazem glória a Deus. Em santa humildade, você hesita em achar que suas ações possam glorificar a Deus, mas elas têm grande potencial para isso. Jesus exortou-nos: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mt 5.16). Pedro também recomendou: “Mantendo exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios, para que… observando-vos em vossas boas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação” (1 Pe 2.12). Isso sugere uma verdade importante. Suas orações, sua forma de abençoar os outros, seu testemunho de vida podem não produzir glória para Deus de forma instantânea e pública, mas permanecerão registrados na mente e na consciência até mesmo daqueles que mais se opõem a você. Assim como Paulo não podia escapar das instigações de sua consciência quando testemunhou o brilho no rosto de Estêvão e seu espírito de perdão, mesmo diante do martírio (At 7.59-60; 1 Co 15.9), assim também os não convertidos, que se opuseram a você, mais cedo ou mais tarde – no Dia do Juízo, se não antes – confessarão sua influência e a glória que você trouxe a Deus por meio de sua fidelidade. Avalie sua vida por suas boas obras e pelas bênçãos que trouxe a outros. Vida espiritual e caráter Você foi criado para trazer glória a Deus (Is 43.7). O Espírito Santo habita em você, enche, empodera e sela sua vida, marcando-a com sua presença e trazendo glória a ele (Ef 1.13-14). O desejo do Espírito é torná-lo uma fonte constante de glória para Deus. Ele quer que sua vida seja extraordinariamente diferente do mundo, selado como propriedade exclusiva de Deus. As pessoas não convertidas conseguem reconhecer o selo da aprovação de Deus sobre você? Avalie sua vida pelo fruto espiritual em seu caráter que glorifica a Deus. São esses frutos que o farão parecido com Jesus (Fp 1.11). Amamos cantar o refrão de T. M. Jones: Que a beleza de Cristo se veja em mim, Toda sua admirável pureza e amor; Ó tu, Chama divina Todo meu ser refina Até que a beleza de Cristo se veja em mim. Avalie sua vida pelo quanto você tem-se revestido do Senhor Jesus Cristo (Rm 13.14). Quanto mais perto de Jesus você caminhar, mais estará cheio do Espírito e mais semelhante a Jesus se tornará. Paulo exorta: “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade” (Cl 3.12). Semelhante a Cristo em compaixão, em bondade, em humildade, em mansidão e paciência – essas são as santas virtudes que trazem grande glória a Deus. São essas qualidades que fazem com que os cristãos, a Igreja de Cristo glorifique a Deus (Ef 3.21). Esse testemunho coletivo da igreja é poderoso, pois uma igreja cheia de pessoas semelhantes a Cristo tem um impacto profundo na comunidade, e o testemunho da vida coletiva acrescenta mais força ao testemunho de vida individual. Essa é uma das muitas razões por que cada cristão precisa ser um membro ativo de um corpo local de cristãos. Não somos capazes de trazer tanta glória a Deus individualmente quanto o seríamos numa comunidade unida. Avalie sua vida pela participação ativa num Corpo, onde você soma mais impacto ao testemunho coletivo do grupo local. Paciência e perseverança O testemunho da sua vida traz glória especial a Deus quando seu caráter e sua atitude são santos, semelhantes a Cristo na paciência, na disposição de perdoar e de não dar respostas carnais. Isso fará um contraste marcante aos insultos, à hostilidade e à perseguição daqueles que se opõem a você e a Cristo. Em tais momentos, cumpre-se o que Pedro escreveu: “Sobre vós repousa o Espírito da glória, o Espírito de Deus” (1 Pe 4.14). Enquanto Deus o abençoa, a beleza dele é vista em você, mesmo em meio ao ódio, à calúnia, à hostilidade e à injustiça. Sua luz brilhará mais e terá um alcance maior do que em qualquer outra época. Então, mais do que em todas as outras ocasiões, a glória de Deus será manifestada sobre você e através de você. Surgirá sobre sua vida e aparecerá para que todos a vejam (Is 60.2). Avalie sua vida pela glória que traz a Deus diante das pressões da vida. Meça-a pela semelhança de Cristo que manifesta quando está sobrecarregado, com problemas de saúde, quando parece que as circunstâncias estão conspirando contra você ou quando está sendo abalado e sacudido por tempestades. São nesses momentos que Deus quer que sua espiritualidade brilhe mais intensamente e seja mais parecida com Cristo. É nessa hora que ele quer vesti-lo com santa tranquilidade e fé perseverante. É aí que ele quer que você o glorifique com canções de louvor. Então, mais do que em qualquer outro contexto, o mundo ouvirá sua canção, verá sua semelhança com Cristo e reconhecerá que você, de fato, foi gerado por Deus.

Wesley L. Duewel

Extraído do livro Measure Your Life (“Avalie sua vida”) por Wesley L. Duewel. Copyright © 1992 por Wesley L. Duewel. Publicado com permissão do Duewel Literature Trust, Inc., Greenwood, Indiana, EUA. Os livros do Dr. Duewel podem ser adquiridos ligando para  1 317 881-6755, ramal 361.

 

Fonte: http://www.oarautodasuavinda.com.br/avalie-sua-vida-pela-gloria-que-traz-a-deus

Read 804 times Last modified on Sexta, 28 Outubro 2016 16:08
Rate this item
(0 votes)